Educação Bilíngue

O Colégio Loyola adotará a Educação Bilíngue nas séries do Ensino Fundamental I a partir de 2019! Para falar sobre os diferenciais dessa proposta para a formação dos estudantes, a escola convidou Rita Ladeia, professora do Instituto Singularidades e pesquisadora da Unicamp, para um bate-papo com as famílias.

O objetivo da conversa foi inserir as famílias nas reflexões iniciadas há cerca de três anos em torno da adoção da Educação Bilíngue, como forma de ressignificar o lugar da língua estrangeira no currículo da escola.

De acordo com Rita Ladeia, o ensino da Língua Inglesa integrado à língua materna, de forma curricularizada, facilita o olhar do educando para o mundo e para o outro, pois amplia o repertório acadêmico e social.

Nesse sentido, a Educação Bilíngue se diferencia de outras propostas, pois não é complementar, nem extracurricular, mas processual e integrada. “A Educação Bilíngue” não suprime, nem diminui a importância da primeira língua. Pelo contrário, trabalha com ela de forma intrinsecamente relacionada”, explicou.

A professora destacou as principais diferenças de outras propostas em curso no meio educacional como a “escola de idiomas”, “escola internacional” e a “escola com highschool”. A Educação Bilíngue, de acordo com a pesquisadora, “é para todos, não exclui ninguém e tem um propósito: mudar a vida dos que mais precisam”. Nesse sentido, é formação humana e identifica-se com as diretrizes da Rede Jesuíta de Educação: fazer dos colégios da Companhia de Jesus um lugar de transformação da sociedade.

Fabiana Rodrigues de Castro, mãe de aluno do 1º Ano EF, esteve no encontro com Rita Ladeia e disse ter gostado muito da proposta e de como o Colégio se fundamentou para oferecer a Educação Bilíngue aos estudantes. “Estou muito confiante e segura. Agradeço a Deus por meu filho, Antônio, estar no Loyola nesse momento de transição”, afirmou.

A adoção da Educação Bilíngue é mais um movimento de inovação do Colégio Loyola para proporcionar aos seus estudantes o desenvolvimento de competências essenciais para o século XXI.


Compartilhe: