História

De um sonho nasceu o Colégio Loyola. Na cidade de Belo Horizonte, recém-construída, havia lugar para uma escola que faria a diferença na vida das pessoas pela formação focada na excelência acadêmica e também na vivência dos valores humanos e cristãos. A educação jesuíta era presente no Brasil, quando o então arcebispo da cidade, Dom Antônio dos Santos Cabral, insistentemente, solicitou à Companhia de Jesus que instalasse um colégio católico na capital mineira. No início, eram apenas 33 alunos, além de professores e dos padres César Dainese e Paulo Nacca. Na década de 60, chegaram as primeiras meninas.

A PRIMEIRA SEDE

No dia 19 de março de 1943, consagrado ao Sagrado Coração de Jesus, inaugurava-se oficialmente o Colégio Loyola. Na época, estava sediado na Rua Gonçalves Dias, 1218, uma casa generosamente cedida pelo Senhor Francisco de Freitas Lobato. O lugar fazia parte da história cultural de Belo Horizonte desde os anos 20, pois abrigava artistas e intelectuais do movimento modernista. Em 25 de março de 1943, aconteceu a missa inaugural, dedicada à Anunciação de Nossa Senhora, data em que se comemora o aniversário do Colégio Loyola. Em 1949, o Colégio Loyola se mudou para a Avenida do Contorno, 7919, no bairro Cidade Jardim, atual endereço.

FORMAÇÃO INTEGRAL

Nos anos 70, o trabalho com os alunos avançou em relação à formação integral. Muitas mudanças pedagógicas aconteceram, e até hoje o Colégio vem investindo em tecnologia e infraestrutura, mas, principalmente, na formação humana e acadêmica. A fé e a ciência caminharam juntas em projetos sociais, incluindo alunos e colaboradores na realidade de servir ao próximo.

Linha do Tempo

Década de 40

  • 8 de outubro de 1942

    Monsenhor Ambrósio escreve ao Padre geral da Companhia de Jesus para pedir a fundação de um colégio jesuíta na Província de Minas Gerais.

  • 25 de fevereiro de 1943

    Primeira sede do Colégio Loyola.

  • 19 de março de 1943

    Início das aulas.

  • 25 de março de 1943

    INAUGURAÇÃO OFICIAL DO COLÉGIO LOYOLA com 33 alunos matriculados.

  • 29 de maio de 1943

    Alunos do colégio aparecem pela primeira vez em público num ato colegial coletivo, realizando a devota e comovente coroação de Nossa Senhora.

  • 1949

    O Colégio Loyola muda-se para seu endereço atual: Avenida do Contorno, 7919, bairro Cidade Jardim, em terreno cedido pelo então prefeito Juscelino Kubitschek.

Década de 50

A chácara de Vila Fátima é incorporada ao Colégio Loyola.

Década de 60

  • 1967

    Colégio Loyola recebe as primeiras alunas: 12 meninas vindas da Companhia de Maria.

Década de 70

  • Novos temas são incluídos na proposta pedagógica do Colégio Loyola. Liderados pelo Pe. Agostinho Castejon, SJ, os assuntos abordados nesse trabalho estão contidos em uma perspectiva de reflexão crítica de questões sociais, como as injustiças, a questão do negro, do índio e do trabalhador do campo.

Década de 80

  • 1980

    Colégio Loyola realiza reformulações e inovações pedagógicas em sua proposta, incorporando em suas atividades os Estágios Sociais.

Década de 90

  • Colégio Loyola reformula o projeto de formação permanente do corpo docente reforçando a prática e a vivência de valores e princípios da Pedagogia Inaciana.
  • Novo prédio é erguido para abrigar o Ensino Médio. O Colégio passa a possuir três prédios e 59 salas de aula.

Década de 2000

  • Grandes reformas são realizadas no Colégio para acompanhar as propostas pedagógicas contemporâneas.
  • A chácara Vila Fátima passa a ter novo endereço (sede atual), localizando-se no bairro Braúnas, na região da Pampulha, com 16 mil m2.

  • Colégio Loyola constrói o Complexo Esportivo.
  • A Biblioteca do Colégio muda conceitualmente e é reformada, informatizada e passa a constituir um espaço multicultural, de travessia do saber.
  • O Colégio Loyola passa a contar com laboratórios de Física, Química, Biologia e Informática.
  • O Passo das Artes, galeria de artes para exposições de obras de artistas e de trabalhos de alunos, é criado.
  • O Castelinho de Santo Inácio, playground da escola, é inaugurado para as crianças do 1º e 2º Anos do Ensino Fundamental.
  • O auditório do Colégio Loyola se transforma no Teatro Pe. Francisco Rigolin, com capacidade para 360 pessoas.
  • As salas de aula são ampliadas e recebem novos recursos tecnológicos.

Década de 2010

  • Colégio Loyola estabelece o Rancho Loyola, em Itabirito. O local é usado para retiros, acampamentos e projetos pedagógicos.
  • A Prainha de Anchieta, espaço com espelho d’água e areia, que remete ao litoral brasileiro onde o padre jesuíta José de Anchieta viveu, passa a integrar o ambiente do Colégio.
  • O antigo “Morrinho”, localizado próximo ao Complexo Esportivo da escola, é revitalizado e passa a compor um Circuito de Arborismo.
  • Espaços lúdicos, como o parque do Castelinho de Santo Inácio, são reformados.

  • Colégio Loyola fecha o ano de 2013 com aproximadamente 2.500 alunos e a comunidade engajada no plano de melhoria da qualidade escolar “A Escola que queremos”.
  • Em 2014, avança ainda mais a proposta de formação integral com a implantação do “Projeto de Formação para a Cidadania”, integrando atividades do 8º Ano à 2ª Série do Ensino Médio. Além disso, são criados o Programa de Internacionalização e o Comitê Gestor Discente de Tecnologia (para gerir junto com os alunos as transformações tecnológicas da escola). A convivência escolar recebe novas diretrizes e implanta-se práticas de justiça restaurativa para lidar com situações de conflito. Refunda-se a Associação dos Antigos Alunos.
  • Em 2015, implantam-se o Núcleo de Inovação e Empreendedorismo (iLO) e têm início as atividades interdisciplinares de ensino de linguagem computacional. A gestão participativa é promovida através da criação do Comitê Pedagógico-Docente.
  • A partir de 2015, os alunos do 5º Ano do Ensino Fundamental vivenciam o Ensino Híbrido, estratégia que combina a tecnologia com os métodos tradicionais de ensino para tratar, de forma mais personalizada, a conexão do aluno com o aprendizado.
  • Em 2016, os alunos do 4º Ano do Ensino Fundamental também passar a ter aulas híbridas.
  • Em 2016, a equipe do Colégio participa do “Seminário RJE – Um caminho de Renovação”, na cidade de São Leopoldo (RS) e colabora para o lançamento do Projeto Educativo Comum (PEC) da Rede Jesuíta de Educação.
  • Em 2016, o Loyola recebe o 1º Encontro de Formação Integral da RJE, primeiro evento presencial envolvendo alunos de todo o Brasil no novo contexto da RJE e da consolidação do PEC.
  • Em 2017, é implantado o Núcleo de Apoio Educacional (NAE) e inaugurada a nova Sala de Estudos, com formato modular e flexível, adequado aos princípios da formação integral.

O COLÉGIO LOYOLA HOJE

O Colégio Loyola conta, hoje, com 2.500 alunos, do Ensino Fundamental ao Ensino Médio. Alinhado aos desafios da educação para o novo milênio, a escola assume como missão a excelência acadêmica para a vivência dos valores humanos e cristãos, desde a alfabetização e o letramento até o preparo para exigências da vida profissional.