Educação Bilíngue será estendida

Em 2018, o Colégio Loyola tomou uma decisão importante: adotar a Educação Bilíngue nas séries do Ensino Fundamental I a partir de 2019. Essa mudança resultou em uma melhora na aprendizagem da comunicação, além do ganho de conhecimento e repertório sociocultural dos estudantes. Essa modificação colocou o ensino de Língua Inglesa oferecido em um nível mais atualizado em relação às competências essenciais para o século XXI.

Segundo Carlos Freitas, Diretor Acadêmico do Colégio Loyola, alguns elementos conduzem o colégio a acreditar e a ampliar a Educação Bilíngue. “Do ponto de vista macro, temos, nos dias atuais, boa parte da população mundial falando mais de um idioma, e o Brasil, mesmo sendo um país continental, é uma exceção nesse ponto. No microcosmo, vemos na educação, em especial no Colégio Loyola, uma redução das fronteiras para as experiências de internacionalização e intercâmbio, que são, cada vez mais, uma realidade em nossa comunidade educativa”, explica Carlos.

A partir disso, em 2020, o Loyola vai estender a Educação Bilíngue para as séries do Ensino Fundamental II, com o objetivo de que nossos estudantes tenham mais essa habilidade cognitiva, linguística e social. Segundo o Diretor Acadêmico, é uma oportunidade para o estudante decodificar o mundo de forma natural em dois idiomas, aprendendo as diversas matérias em inglês e português.

A Educação Bilíngue do 6º ao 9º Ano contará com o suporte técnico da International School e com a consultoria da pesquisadora Rita Ladeia, especialista no assunto. Além disso, seguirá um plano de implantação que prevê a comunicação de cada passo, antecipadamente,​a estudantes e famílias.

Segundo Noeme Monteiro, assessora referência pedagógica para línguas adicionais, ao utilizar Metodologias Ativas e o método “hands-on”, a Educação Bilíngue favorece o desenvolvimento de habilidades socioemocionais, essenciais na formação de cidadãos mais conscientes e responsáveis. “Por ativarem duas línguas simultaneamente, os bilíngues apresentam memória e capacidade de atenção mais desenvolvidas quando comparadas às dos monolíngues e, com isso, maior capacidade de decisão. Além, é claro, do benefício de serem fluentes em duas línguas”, explica Noeme.

Andréia Pereira Gonçalves, mãe da estudante do 5º Ano EF Júlia Pereira de Almeida, ficou bem satisfeita e contente com a notícia sobre a ampliação da Educação Bilíngue. “Confesso que estava um tanto preocupada com a possível ruptura desse trabalho com os estudantes, pois pude perceber um envolvimento muito grande de minha filha com as aulas dadas no colégio. Uma quebra nesse processo tão importante que foi iniciado poderia ser muito frustrante para ela”, explica a mãe.

Somado a isso, Andréia comentou os resultados que percebeu em Júlia, reforçando a importância da Educação Bilíngue. “Júlia tem se mostrado muito entusiasmada com os métodos usados nas aulas. Percebo que ela tem desenvolvido muito a fala e a compreensão da língua. Isso me deixa segura e tranquila em relação ao seu aprendizado de inglês, já que ela não está fazendo mais curso, que fazia desde os 6 anos. Saber que minha filha tem o contato diário com a língua e ainda de forma totalmente contextualizada às demais aprendizagens desenvolvidas no colégio me deixa muito satisfeita. Certamente, ela continuará se desenvolvendo cada vez mais”, reforça Andréia.


Compartilhe: